3 de jul de 2013

Resenha - A sociedade dos indivíduos - Norbert Elias

Norbert Elias no livro “A sociedade dos indivíduos”, “parte III- mudanças na balança nós - eu”, busca fazer uma análise na relação entre indivíduo e sociedade. Através de uma sociologia processual e histórica. O que é o indivíduo? E a sociedade? Como acontece essa relação indivíduo e sociedade?

Segundo Elias, “atualmente a função primordial do termo indivíduo consiste em expressar a ideia de que todo ser humano do mundo é, em certos aspectos, diferente de todos os demais, e talvez deva sê-lo”. “O conceito de sociedade costumava referir-se, implicitamente, às sociedades organizadas como Estados, ou talvez como tribos” (ELIAS, p.132, I987)

Norbert Elias tenta explicar essa relação indivíduo e sociedade a partir de um processo de desenvolvimento da humanidade, desde a era primitiva, medieval, até o período contemporâneo. Os conceitos foram se aprimorando de acordo com o tempo, a relação entre indivíduo e sociedade, modifica-se de modo característico. Cada indivíduo possui sua identidade – eu, e sua identidade – nós, em algumas sociedades e dependendo do tempo, uma prevalece mais que a outra.

Nos países ditos em desenvolvimento, as pessoas são mais ligadas à família, a identidade – nós, visto que nos países desenvolvidos, a identidade – eu, é quem prevalece. Elias faz até uma crítica com relação a chamar um país de “em desenvolvimento”, será que os países desenvolvidos não estão sempre em constante desenvolvimento?

O homem contemporâneo, involuntariamente, sem perceber coloca uma barreira entre ele e o homem “primitivo”, quando usa expressões como “homem das cavernas”, querendo ou não, ele se acha melhor por causa do conhecimento por ele obtido. Apresentando certo egoísmo. Norbert Elias cita o habitus, que Bourdieu o denomina como a relação entre as práticas do cotidiano e as condições de classe produzidas por uma sociedade. Na visão de Elias é um saber acionado à vida em sociedade, ou seja, uma segunda natureza.

O habitus, desenvolvido pelo sociólogo francês Pierre Bourdieu, “Esse habitus, a composição social dos indivíduos, como que constitui o solo de que brotam as características pessoais mediante as quais um indivíduo difere dos outros membros de sua sociedade”. (ELIAS, p.150, 1987). Em suma, Norbert Elias busca fazer um equilíbrio na relação nós – eu, dentro das mudanças ocorridas durante o desenvolvimento histórico da sociedade.



ELIAS, Norbert. A sociedade dos indivíduos: mudanças na balança nós – eu (1987). Rio de Janeiro: Zahar, 1994.